“Fala da Especialista com Dra. Raquel Siebra: a microfisioterapia como tratamento na Enurese infantil”


A Enurese noturna nada mais é do que o famoso ‘xixi na cama’! E é uma das chateações mais comuns da infância e acaba perturbando toda a família. As crianças costumam controlar os esfíncteres ao redor dos 2 ou 3 anos, mas algumas crianças o farão mais tarde, e se considera normal que até os 4 anos a criança tenha alguma perda urinária enquanto dorme.
Ela tem uma incidência maior nos meninos e sua causa geralmente se dá por:

  • uma bexiga menor ou
  • por uma demora maior na maturação/ amadurecimento dos músculos dos esfíncteres da bexiga;
  • produção inadequada do hormônio antidiftérico durante a noite;
  • e também pode estar associada a causas emocionais.

Dentre as causas emocionais encontram-se, por exemplo, a mudança de casa, o nascimento de um irmão, a separação dos pais, coisas que podem fazer com que a criança regrida a um padrão anterior de comportamento. Diante do exposto é importante saber identificar a causa primária de toda essa sintomatologia. E, é aí que a Microfisioterapia entra. Pois é uma técnica de prevenção, diagnóstico e tratamento manual das disfunções corporais e somato-emocionais.
Por meio de toques manuais suaves e específicos, o fisioterapeuta, seguindo mapas corporais pré definidos, procura a causa primária do sintoma em questão.
O que acontece é que com o estímulo dos toques da microfisioterapia, o organismo entende o que exatamente deve ser eliminado e o que precisa ser feito para apagar o bloqueio e levar a cura. É importante a família ter consciência de que a criança não faz isso porque quer, mas por um problema, e deve-se evitar puni-la ou ficar bravo, pois isso só irá prejudicar ainda mais o sentimento de culpa e piorar a autoestima da criança. Seja paciente, procure um profissional capacitado e sempre tente compreender seu filho. Todos agindo em conjunto obterão um melhor resultado.

Dra. Raquel Siebra – Fisioterapeuta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *