Fala do Especialista com Dório Araújo: Judô.

“Partindo do princípio, onde traduzimos a palavra judô, “Caminho Suave”, para aqueles que ainda não têm o conhecimento. Na sua prática, e principalmente no alto rendimento, não faz jus a sua tradução. Porém refere-se às suas técnicas, onde com diferença de peso significativo, e muito inferior, um praticante pode superar seu oponente aplicado corretamente os movimentos adquiridos neste esporte.
O judô é uma arte marcial japonesa, tornou-se esporte, onde busca projeta o oponente com o objetivo de fazê-lo tocar as costas no tatame. E se não é concluído com perfeição, ou for executado com alguma falha, a luta tem continuidade no solo, com técnicas de imobilização, chaves de articulação e estrangulamento.
Criado por Jigoro Kano, em 1882, carrega em seu ensino, o fortalecimento físico, mental, e espiritual. Atuando na disciplina, formação do caráter, autoconfiança, coordenação motora, autocontrole emocional, paciência, respeito ao próximo.
Com imigração japoneses em 1922, o judô surge no Brasil, e 1964, já era o esporte mais popular no Japão, levando sua inclusão nas olimpíadas, em 1972. Entretanto, não obtive esta adesão por acaso.
Jigoro Kano, desde de a sua adolescência, era inferiorizado, por sua estatura e condições físicas, desta forma, tomou a decisão de modificar o tradicional jiu-jitsu, incluindo exercício de educação fisica, iniciando estudos com base nas leis da dinâmica, ação e reação, encontrando explicações científicas para cada golpe, selecionou e classificou um a um, buscando a melhor execução, estabelecendo normas, visando a viabilidade para a prática desta arte, ser de fácil aprendizado.
Idealizou regras para a despista desportiva, na busca do golpe perfeito ou ponto completo. Em resumo, seu objetivo foi proporcionar aos seus praticantes, formas diversas de superar as próprias limitações do ser humano.
Com base, no ceder para vencer, utilizando a força do oponente, conta ele mesmo, no desequilíbrio, e a não resistência para controlar e dominar o oponente, assim, utilizando o mínimo de esforço, contrariando a filosofia da época, vencer ou morrer, lutar até a morte, Jigoro Kano foi desafiado inúmeras vezes, por defensores e praticantes das antigas filosofias e artes, porém, kano se sobrepôs, provando suas técnicas e práticas, definindo nova filosofia, com fundamento e eficácia.
Nos dias atuais, o judô pode ser considerado uma escola para vida, ensinando aos seus praticantes, da teoria a prática, do simples ato de cair, levantar e continuar a luta, seja ela qual for. Ao entendimento de que, não estaremos eternamente no topo, no entanto, perseguir seu objetivo, até sua conclusão, sendo ele alcançado ou não, mas em seu percurso, obter o maior do seu aprendizado, a prática de enfrentar um desafio real em sua vida, é não existir o fracasso, apenas, naquele momento, alguém foi melhor que você, e você poderá ser melhor na próxima oportunidade.
Judô, é um esporte, onde seu maior oponente, será sempre, você mesmo. Quem define até onde quer ir em, conhecimento, técnicas, conquistas, valores e superação, será você.

Meus agradecimentos ao associação nagai de judô. Sensei Tadao Nagai, Sérgio Nagai e Silvio Nagai na unidade unidade Recife-PE.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *